IAB Brasil convoca indústria para garantir ambiente ideal ao anunciante; Facebook contra notícias falsas

 

No giro de notícias da semana, o manifesto do IAB Brasil pede transparência e responsabilidade a todos membros da cadeia digital no enfrentamento de discussões de brand safety; Facebook lança manual para orientar usuários a identificar notícias falsas; mercado publicitário espera crescimento de até 30% na demanda programática em 2017, segundo pesquisa da Teads.

IAB Brasil lança manifesto que discute brand safety

Durante o evento IAB Branding & Performance, realizado essa semana em São Paulo, o presidente da entidade, Cristiano Nobrega, fez um apelo à indústria de publicidade digital diante das recentes movimentações no mercado que esbarraram em torno de discussões sobre brand safety. Ao ler um manifesto, o representante chamou atenção para o enfrentamento dessas questões.

Apesar de reconhecer que o cuidado com a veiculação de publicidade ao redor de conteúdos inapropriados sempre foi uma preocupação de anunciantes e do mercado publicitário, incluindo digital, Nobrega destacou que “é preciso tomar providências para garantir um ambiente ideal ao anunciante”. E completou: “E assim será feito para o bem do ambiente em que atuamos. Identificando fragilidades, o mercado se organizará no sentido de minimizar ou eliminar seus efeitos”.

Enquanto principal entidade de classe representante do setor, o IAB Brasil, reforçou que em um mercado novo e em crescimento, como o da publicidade digital, é necessário fortalecer relações comerciais transparentes, com parceiros sérios, éticos e comprometidos com resultados, bem como entender que todos os elos da cadeia devem assumir sua responsabilidade.

A entidade convocou agências, anunciantes, veículos e plataformas de tecnologia e serviços para se unirem e assumirem responsabilidades e papéis igualmente importantes da cadeia. “Devemos continuamente identificar fragilidades e corrigi-las. Encontrar o equilíbrio e a transparência necessárias para que haja o correto uso do ambiente digital para a publicidade”.

Facebook contra notícias falsas

As redes sociais, bem como aplicativos de mensagem,viraram canais eficientes para a disseminação de notícias falsas em todo o mundo. Desde o ano passado, a plataforma Facebook vem sido fortemente pressionada pela indústria de comunicação para tomar providências contra as notícias falsas, especialmente após a veiculação de rumores que influenciaram no resultado das eleições americanas, que terminaram com vitória de Donald Trump.

Como parte de uma campanha global para fortalecer a confiança na plataforma, o Facebook acaba de trazer para a América Latina, especialmente países como Brasil, México, Colômbia e Argentina, um manual para orientar usuários a identificar notícias falsas.

Cabe ressaltar que o Brasil é o segundo país do número em número de usuários ativos na rede social, com 114 milhões de usuários mensais, de forma que a rede social acaba sendo a fonte de informação de muitas pessoas diariamente. Por aqui, a preocupação com o combate às notícias falsas tem sido cada vez maior, inclusive foi tema de discussão entre veículos, anunciantes, plataformas de tecnologia e agências durante o IAB Branding & Performance.  

Mercado publicitário espera crescimento de até 30% na demanda programática em 2017, segundo a Teads

Em um encontro promovido pela Teads, na semana passada, em Campos do Jordão, foi palco para reflexões e análises sobre a publicidade sustentável e perspectivas da mídia programática. O evento contou com a presença de executivos de marcas como Heineken, Fiat, Itaú, de agências como DPZ&T, Africa, DM9, Blinks, Publicis e Leo Burnett, além de Trading Desks como Affiperf, Tradelab e Exiber.

Fabricio Proti, diretor executivo da Teads no Brasil, abriu o evento afirmando que “o mercado digital passa por um momento de reflexão, que exige o resgate de valores e práticas necessárias para garantir o crescimento sustentável para os próximos anos”.

Na ocasião, a ad tech realizou uma pesquisa para identificar algumas necessidades e desejos do mercado. Dentre os convidados, mais da metade espera um crescimento de 20% a 30% na demanda do setor em comparação com o ano passado. Para os profissionais, o principal foco durante o planejamento de uma campanha de vídeo programático deve ser a capacidade de segmentação. Outras prioridades apontadas foram viewability e completion rate, e a busca por resultados mais precisos e efetivos das campanhas.

Comments