Audio.ad lança DSP de áudio; anunciantes LATAM pagariam por mais brand safety e visibilidade

O giro de notícias da semana traz os destaques do mercado de publicidade digital do Brasil e da região: empresa argentina Audio.ad apresenta a primeira DSP exclusiva para áudio digital na América Latina; visibilidade, segmentação e brand safety estão entre as prioridades dos anunciantes LATAM, segundo pesquisa da IMS e da ComScore.

Audio.ad anuncia AudioTrade ao mercado

A Audio.ad, especializada em soluções de publicidade em áudio digital na América Latina e no mercado hispânico dos Estados Unidos, lança a AudioTrade, DSP focada 100% em áudio digital. A tecnologia da plataforma permite que agências e anunciantes comprem publicidade em áudio digital de forma programática em rádios online, sites de streaming de música e podcasts.

Para tanto, a AudioTrade oferece acesso programático aos inventários de diferentes exchanges e publishers, como a2x® by Triton, Wideorbit, Audio.ad, TuneIn e outros. Por meio dessas fontes, mais de 500 publishers de áudio digital podem ser acessados.

“Nossa plataforma oferece aos anunciantes e agências mais de 6 bilhões de oportunidades para mostrar publicidade em áudio a audiências de todo o mundo”, comentou Carlos Cordoba, Managing Director da Audio.ad.

Já Rodrigo Tigre, sócio-diretor da RedMas, que representa a Audio.ad no Brasil, destacou os benefícios para agências e anunciantes, que poderão comprar publicidade de áudio digital em grandes estações de rádio, sites de streaming de áudio e podcasts locais; e para os publishers, que terão a oportunidade de monetizar os seus inventários e aumentar a visibilidade para os compradores de mídia chave.

Entre os formatos de publicidade oferecidos pela AudioTrade estão audiosposts, banners e anúncios dinâmicos com diferentes variáveis de segmentação como clima e localização. Em relação as modalidades de compra, a DSP trabalha com o CPL (Custo por escuta) e CPM (Custo por mil impressões).

A plataforma também possui sua própria estatística como LTR (Listen Through Rate), que registra o número de usuários que realizaram uma ação para ouvir um audiospot. Além disso, a plataforma entrega relatórios com informação sobre a localização em que cada anúncio foi ouvido, com objetivo de garantir transparência e segurança ao anunciante.

Anunciantes LATAM pagariam por mais brand safety e visibilidade

Pesquisa conduzida por IMS e ComScore durante o último Festiva de Mídia LATAM, em Miami, revela quais são as prioridades e preocupações dos anunciantes da região quanto à publicidade digital. Cerca de 60% dos respondentes disseram que pagariam mais de 50% do que costumam por um meio seguro, que garanta visibilidade e que não seja exposto a conteúdos criados por usuários.

Diante dos resultados da pesquisa, Gastón Taratuta, CEO da IMS, pontua: “é lógico esperar que o setor de publicidade esteja disposto a pagar mais plataformas de ecossistemas que assegurem uma alta porcentagem de brand safety, visibilidade e sem fraude”.

Além disso, 90% entrevistados concordam que os principais pontos levados em consideração ao executar uma campanha online são visibilidade (65%), segmentação (59%) e brand safety (58%). O que chama atenção é que mesmo com a preocupação em relação ao brand safety, cerca de 44% dos participantes relatam já ter enfrentado algum problema relacionado.

Baseado em mais de 300 entrevistas com profissionais da indústria, o levantamento também ressalta a importância dada pelos anunciantes às campanhas de vídeo – cerca de 70% consideram o formato fundamental. Dentre as plataformas mais utilizadas por eles, figuram YouTube, Facebook e Instagram, consideradas como espaços para veiculação de campanhas de conscientização.

Enquanto Spotify e Vevo são tidas como as plataformas mais seguras, YouTube e Facebook são vistas pelos anunciantes como as mais rigorosas quanto ao controle de conteúdos que podem impactar negativamente uma marca e também com as de mais visibilidade.

Comentários