Rubicon Project tem novo CEO; Grupo Ogilvy Brasil aponta novo presidente

O giro de notícias desta semana traz os destaques do mercado nacional e internacional de publicidade digital: Michael Barrett substitui o fundador Frank Addante na liderança da Rubicon; Fernando Musa é o novo presidente do Grupo Ogilvy & Mather Brasil; Predicta e YContent fecham parceria em vídeo; Estudo da Teads mostra efeitos da publicidade em vídeo no cérebro.

Rubicon Project tem novo CEO

A Rubicon Project nomeou um novo CEO: Michael Barrett substitui o fundador Frank Addante na liderança da empresa de ad tech. Anteriormente, Barrett ocupava o cargo de CEO da Millennial Media. Agora, Addante vai se concentrar em seu papel como presidente da empresa, com foco na estratégia e liderança.

“Tenho apreciado e me orgulhado de servir nossa equipe como CEO nos últimos dez anos. Eu amo esta empresa e estou orgulhoso de continuar em nossa missão como presidente e fundador”, afirmou Addante sobre a mudança.

Barrett espera dar continuidade à liderança de pensamento da Rubicon Project na indústria. “A Rubicon Project tem uma forte posição de liderança, um sólido balanço patrimonial e uma estratégia de produto agressiva e inovadora”.

A nomeação do novo CEO vem após alguns meses agitados na Rubicon Project, incluindo demissões, saída de gerentes de alto escalão e perdas de receita. Na terça-feira, a companhia revelou os resultados da receita do quarto trimestre, que sofreram uma queda de 23% em comparação com o ano passado, com uma perda líquida de US$ 18,1 milhões.

Grupo Ogilvy Brasil aponta novo presidente

Em mais uma dança das cadeiras, Fernando Musa é apontado como o novo presidente do Grupo Ogilvy & Mather Brasil, ocupando o posto de Sérgio Amado, chaiman e presidente do grupo por vinte anos. Amado agora se dedicará exclusivamente como chairman das agências.

Desde 1995 na Ogilvy, Musa iniciou sua carreira na área de atendimento até alcançar o cargo de CEO da agência. A mudança foi anunciada pelo CEO global, John Seifert, validando especulações do mercado. Sérgio Amado se referiu à sucessão como natural e já prevista.

“Musa teve toda a sua formação na Ogilvy, onde está há 21 anos, e ajudou a construir o que a agência é hoje: uma empresa sólida, que atende alguns dos maiores anunciantes do país, e muito premiada”, declarou Amado.

Predicta e YContent fecham parceria em vídeo

A ad tech brasileira Predicta selou uma aliança estratégica com a YContent, plataforma especializada na recomendação de vídeos para publishers e sites, que permite atrelar vídeos a qualquer tipo de conteúdo produzido.

Ao unir conteúdo de alta qualidade a uma audiência qualificada e engajada, a YContent cria novas oportunidades para anunciantes executarem suas estratégias de conteúdo nativo. Com a integração, a Predicta passa a oferecer um portfólio capaz de ativar mais de 100 mil vídeos de produtores nacionais e internacionais que impactam mais de 40 milhões de usuários únicos mensalmente.

“A aliança com a YContent reforça a estratégia de crescimento da Predicta para se tornar o maior player de tecnologia digital do Brasil. Com isso, somamos os recursos de vídeo às nossas soluções para ambientes mobile e desktop”, comenta Guilherme Mamede, vice-presidente de novos negócios da Predicta.

Desde setembro do ano passado, a Pedicta iniciou um processo de expansão e reformulação de seu portfólio a partir da aquisição da Melt, hub de soluções digitais para mídia programática. O objetivo, segundo Mamede, é aprofundar ainda mais nessa estratégia em 2017.

Estudo da Teads mostra efeitos da publicidade em vídeo no cérebro

Uma pesquisa encomendada pela Teads mostrou como anúncios inseridos em conteúdos editoriais premium envolvem 16% mais do que aqueles em feeds sociais de notícias. Além disso, esses anúncios ofereceram uma experiência de maior engajamento, com um poderoso impacto de memória nos dois lados do cérebro, o racional (19%) e o emocional (8%). Os vídeos outstream da Teads impactaram 15% mais do que o mesmo conteúdo apresentado via Facebook.

O estudo foi baseado em neuromapping (mapeamento das atividades cerebrais) e conduzido em parceria com a Neuro-Insight, empresa de pesquisa de mercado com base em neurociência. Foram recrutados dois grupos de 50 entrevistados, cada um equipado com bonés de neuro-mapeamento utilizados para medir a resposta do cérebro aos estímulos. Os grupos foram expostos no celular a oito criativos de vídeo idênticos em seus feeds de notícias do Facebook, e anúncios outstream em vídeo da Teads, veiculados em publishers premium.