"Com mídia programática saímos muito na frente da concorrência", diz head de marketing da Dafiti

Uma das empresas que mais aposta em mídia programática no Brasil é a Dafiti. A companhia de ecommerce tem à frente de sua equipe de marketing digital Gabriel Porto Barbosa desde 2011, após fazer sua carreira em empresas como Catho Online, IG e Mercado Livre.

Em uma breve entrevista ao ExchangeWire Brasil, o executivo fala como ele solidifica as estratégias de marketing com tecnologia. No último dia das mães, por exemplo, Porto viu a Dafiti aumentar 50% as vendas nas duas semanas que antecedem a data, bem acima dos 15% de alta esperada pelo setor varejista. O sucesso foi em parte atribuído à tecnologia – a empresa é cliente da Sociomantic -, além de um trabalho de posicionamento de marca e portfólio.

A mídia programática ainda é um mercado dentro do digital sobre o qual os profissionais ainda têm muitas dúvidas sobre eficiência, até mesmo de entendimento das tecnologias….  A Dafiti criou sua estratégia digital já em cima de programmatic? Ou foi algo que apareceu depois de um tempo?

Gabriel Porto Barbosa: Sim, desde o início da Dafiti já tínhamos em nosso planejamento este formato de mídia. Quando os sócios-fundadores da Dafiti [a companhia  foi fundada por quatro empresários: Malte Huffmann e Malte Horeyseck, ambos alemães; o brasileiro Phillip Povel; e o francês Thibaud Lecuyer] vieram ao Brasil para fundar a Dafiti, trouxeram muito conhecimento e tecnologia que eram aplicados no exterior. Com o programmatic, saímos muito na frente da concorrência e, com certeza, ajudou bastante no crescimento agressivo e sólido do início.

Vocês falam publicamente de resultados que obtiveram com isso, o último do dia das mães. E são os resultados o principal argumento em torno da tecnologia. Para vocês, é o que faz a diferença, em relação a outras abordagens digitais?

Barbosa: Tivemos ótimos resultados no dia das mães, mas foi um conjunto de fatores que impactam neste crescimento positivo:

1- Consolidação em diversas categorias como perfumes, casa de decoração, maquiagem, bolsas e acessórios.

2- O portfólio estava muito completo e preparado para este momento. Fizemos um planejamento com o time comercial para divulgarmos da melhor forma possível.

3- Fizemos um reposicionamento da marca e site, que ajudou a mostrar qual a identidade da Dafiti e seu posicionamento como marca de moda.

4- Nosso centro de distribuição que sempre está preparado para entregar produtos no mesmo dia da compra, ou seja, muita comodidade. Além de ser o “maior closet” da América Latina.

5- A mídia programática ajuda a propagar de forma eficiente, contribuindo com bons resultados na ocasião.

Vocês acreditam que pelo fato de o negócio da Dafiti ser essencialmente digital, a cultura da empresa é automaticamente favorável para adoção de tecnologias de anúncio?

Barbosa: Sim, justamente pelo nosso negócio ser essencialmente digital, precisamos estar bem respaldados para melhorar diariamente nossas ferramentas e analises. Os desafios que encontramos são diários por estarmos inseridos no mercado essencialmente virtual. Neste sentido, um ponto importante que deve ser destacado é o perfil de profissional de marketing na Dafiti: nossa equipe de marketing é composta não apenas por profissionais formados na área, mas por diversos profissionais multidisciplinares. Por exemplo, estamos contratando engenheiros para a equipe também.

Como vocês veem, no geral, o mercado de programmatic no Brasil?

Barbosa: No Brasil, o mercado programmatic amadureceu nos últimos meses, porém ainda está engatinhando se compararmos com os Estados Unidos, que usa este formato como principal compra de mídia. No entanto, o Brasil está seguindo os mesmos passos que os países mais maduros e nos próximos meses e anos teremos muitas novidades e mudanças na forma de comprar mídia.