5 tendências para o mercado digital brasileiro em 2019

tendencias-marketing-2019

Mesmo em um ano difícil para a economia brasileira, algumas empresas do setor de ad tech, como a plataforma full stack para Publishers Smart, alcançaram recordes de crescimento próximos a 600% de incremento impulsionados pela adoção de novas tecnologias para geração e otimização de receita através principalmente da mídia programática.

Considerando esses resultados expressivos, há muitas oportunidades a serem exploradas pelos players, como mostra Weverton Castro, Country Manager da Smart no Brasil. Em artigo exclusivo para o ExchangeWire Brasil, o executivo enumera cinco tendências para o mercado brasileiro de publicidade digital para o próximo ano.

Tendência 1: evolução do header bidding server-side

Header bidding server-side possibilitando o aumento da receita programática multitelas.

Estabelecido no mercado, o header bidding não sairá dos holofotes da publicidade digital no próximo ano, evoluindo de seu modelo tradicional para o modelo server-side, trazendo novos benefícios para o publisher no desktop, no mobile web e mobile app.

As plataformas tecnológicas estão desenvolvendo ferramentas para que o bid aconteça fora do header da página do publisher, mas direto no servidor do próprio parceiro, diminuindo assim a latência, melhorando a experiência do usuário, trazendo maior transparência e melhorando preços.

O header bidding server-side atende também uma das grandes demandas da indústria: a otimização da monetização dentro dos aplicativos móveis, que ainda adota o modelo de cascata para entrega programática de publicidade.

Weverton-Castro-Smart

Weverton Castro, Country Manager da Smart no Brasil

Essa evolução aprimora as integrações das plataformas com os SDK (kits de desenvolvimento) dos apps abrindo caminho para os publishers obterem um crescimento em suas receitas de publicidade, melhorando a monetização de todo seu inventário multitelas pelas plataformas que, inclusive, oferecem transparência em toda a jornada de compra por leilão.

Tendência 2: segmentação contextual

Machine learning desenvolvendo análises contextuais para melhorar a assertividade das campanhas.

A identificação dos temas principais nas páginas através de inteligência artificial analisando e classificando em tempo real os conteúdos, trará ganhos de eficiência para as duas pontas da cadeia publicitária colocando o anúncio no momento certo do usuário e no contexto desejado pelas marcas.

Para os anunciantes, a segmentação contextual dinâmica trará resultados mais assertivos, melhorias no ROI e tranquilidade de entregar as campanhas em um ambiente seguro apenas com premiums publishes. Para os publishers, a nova forma de segmentação oferece aos anunciantes o que eles precisam criando valor e visibilidade de seu inventário para as DSPs.

Tendência 3: intensificação do combate à fraude na publicidade mobile

Lançamento de novos protocolos e adequação dos processos para as novas regulamentações no setor.

Com projeções que ultrapassam os 3 bilhões de dólares segundo dados do eMarketer, os investimentos em publicidade no mobile consolida o amadurecimento do segmento no mercado brasileiro. Com esse crescimento, as atenções se voltarão para as boas práticas e políticas de combate à fraude, oferecendo aos anunciantes mais confiança e transparência para realizar seus investimentos.

Com a recente aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados e os impactos positivos percebidos após a implementação do ads.txt (Authorized Digital Sellers ou Vendedores Digitais Autorizados) promovido pela IAB, novos protocolos deverão ser lançados ao longo de 2019 para garantir um ambiente digital mais seguro.

Tendência 4: estreitamento das relações no ecossistema

Relacionamentos e construções de longo prazo para entrega de valor.

Como consequência do combate à fraude e do aumento da receita dos publishers via programática, o mercado e seus agentes estarão mais conscientes sobre os desperdícios na cadeia de valor.

Ações e parcerias serão trabalhadas valorizando os conhecimentos e expertises dos publishers, das plataformas, das agências de publicidade e trading desks para elevar a entrega de resultados aos departamentos de marketing das empresas.

Tendência 5: protagonismo dos premiums publishers

Publishers com papel central nas tendências do mercado ad tech.

Com a capacidade de criar e escalar massivamente o seu próprio conteúdo em diversas plataformas e dispositivos, os premiums publishers terão papel de destaque no mercado digital.

Por estar no centro das relações entre plataformas e agências e garantir segurança para as marcas no momento em que o anúncio é exibido atrelado a conteúdos de qualidade, os premiums publishers, apoiados em uma base tecnológica, serão capazes de integrar as melhores soluções e inovações oferecidas pelo mercado aumentando ainda mais a sua entrega de valor para os anunciantes.