ADTZ adquire Glow e assume liderança global em social DSP; Facebook alcança 39% da população LATAM

Dentre as notícias que foram destaque essa semana: ADTZ compra Glow e cria AdGlow, a maior ad tech com foco em social da Europa e América Latina; penetração do Facebook avança na América Latina deve atingir 69,5% dos usuários de internet em 2016; VP do Facebook obtém habeas corpus e deixa prisão, após determinação judicial expedida por falta de colaboração da empresa com o fornecimento de dados para investigação; Brasil é destaque em market share global em mobile em levantamento feito pela Optimise

ADTZ compra Glow e dá origem à AdGlow

Essa semana, a espanhola ADTZ anunciou a aquisição da britânica Glow. A negociação entre as duas grandes empresas do mercado de social DSP (demand side platform) marca a consolidação global da ADTZ nesse mercado e dá origem à AdGlow, a maior ad tech com foco em social da Europa e América Latina.

Apoiada por fundos de investimentos, como Onza Venture and White Star Capital, a nova empresa buscará a partir de agora a ampliação de suas operações para outros mercados como África, Ásia (onde a companhia já está presenta em Cingapura, Hong Kong e Filipinas) e Peru.

Na América Latina, a ADTZ opera no México, Colômbia, Argentina, Chile, Miami e Brasil, onde atua desde 2011, e tem como sócio o brasileiro Ricardo Reis, que esteve à frente das negociações de aquisição. Reis será responsável pela operação global da AdGlow na América Latina, Ásia, EUA e Europa, exceto Espanha.

Os valores da aquisição não foram divulgados, mas especula-se que sejam altos, já que a operação cria a maior parceria baseada em Facebook e Twitter fora dos Estados Unidos. A marca AdGlow será implementada este ano, inclusive no Brasil.

Em 2016, o Facebook chegará 39% da população da América Latina em 2016

Além de ser a rede social mais utilizada, o Facebook deve atingir 69,5% dos usuários de internet e 93% dos usuários de redes sociais esse ano na América Latina. Isso representa um alcance a 39% da população de LATAM.

Os números são do eMarketer e apontam a Argentina como o país onde o uso do Facebook é maior, e deve chegar a 96,3% da população dos usuários de redes sociais e 47,6% da população este ano. O México lidera em termos de penetração da rede social, com 73,3% dos usuários de internet; em seguida aparecem Brasil (72,6%) e Argentina (70%). O Brasil, contudo, está na frente em termos de usuários de Facebook, que devem somar 87 milhões em 2016, enquanto o México deve atingir quase 52 milhões.

Já o Twitter irá alcançar 16,4% da população latina esse ano, estima o eMarketer. Vale destacar que um estudo recente da comScore mostrou que o Twitter não é a segunda rede social mais utilizada na região, e sim a plataforma Blogger. LinkedIn segue na terceira posição e, em quarto, figura então o Twitter.

VP do Facebook obtém habeas corpus e deixa prisão

Na terça-feira (2), noticiamos aqui no ExchangeWire Brasil a prisão do VP Latam do Facebook, Diego Dzodan, pelo descumprimento da empresa com uma determinação da Justiça de Sergipe em colaborar com o fornecimento de dados e informações sobre conversas no Whatsapp trocadas por suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas.

Após passar a noite no Centro de Detenção Provisória (CDP), o executivo recebeu habeas corpus e deixou a prisão. No ano passado, o Whatsapp sofreu punições por não colaborar com a polícia em investigação sobre crime organizado e tráfico de drogas em São Bernardo do Campo (SP), o que acabou com a suspensão do aplicativo por 12 horas no país. O caso voltou a ser debatido esta semana, na CPI dos Crimes Cibernéticos, que convocou na segunda-feira (1), uma audiência pública para debater a suspensão do aplicativo. O delegado que pediu o bloqueio do Whatsapp prestou esclarecimentos na ocasião.

O foco em performance mobile

Até 2018, o Brasil irá se tornar o nono maior mercado da rede mobile, segundo o eMarketer. Dessa forma, o uso desse nesse canal têm crescido de forma acelerada, conforme aponta levantamento da Optimise, empresa de marketing de performance, que analisou 8 milhões de transações realizadas globalmente em sua rede no último ano.

De acordo com a pesquisa, em 2015 cerca de 38% do tráfego brasileiro foi gerado no mobile, comparado a 10% em 2014; 35% do tráfego veio de smartphones, contra 8% no ano anterior. Além disso, a empresa revela que 57% das transações foram realizadas no mobile, comparado a 9% em 2014. Dessas, 52% foram realizadas em smartphones, contra 7% no ano anterior. O estudo também mostra que o Android é a plataforma dominante, com quase 96% do tráfego smartphone. O país também está em posição de destaque em market share no mobile em relação a outros países onde a companhia atua, como mostram os gráficos (abaixo).

Grafico (3)“No último trimestre tivemos a oportunidade de trabalhar diretamente com grandes marcas que investiram mais de 200 mil reais em mobile na Optimise, trazendo retornos surpreendentes e construindo um histórico de dados que nos fazem mais experientes e assertivos na hora de entregar resultados nos dispositivos móveis”, comenta Lucila Vazquez, Head de Client Services da Optimise no Brasil.