Mobile responde por metade das vendas online no Brasil

mobile-commerce-brasil

Definitivamente, o mobile está se consolidando no Brasil, de modo que as estratégias de marketing buscam acompanhar o ritmo acelerado de adoção dos dispositivos móveis pelo usuário. As transações realizadas em dispositivos móveis no Brasil já correspondem a 50% de todas as vendas online, aponta o estudo da Criteo “Análise do E-commerce no Mundo”.

Para o levantamento, a ad tech focada em performance analisou dados de navegação e compra de mais de cinco mil varejistas em mais de 80 países referentes ao primeiro trimestre do ano.

Segundo a pesquisa, os varejistas que adotam aplicativos em suas estratégias digitais têm cerca de um terço (30%) dos pedidos no ambiente mobile sendo feitos por meio desses canais. Sem contar que a taxa de conversão em apps de compras é três vezes maior que na web mobile.

“Nosso estudo mais recente mostra mudanças contínuas das compras via desktop para compras mobile, bem como de sites de varejo para aplicativos. O consumidor de hoje está em movimento e pesquisa em várias telas, exigindo uma abordagem coesa orientada por dados para cruzar e influenciar as decisões de compra”, destacou Alessander Firmino, diretor geral da Criteo para o Brasil e América Latina.

Dados mobile América Latina (Fonte: Criteo/2018)

Dentre principais destaques da pesquisa, estão:

– aplicativos em ascensão: o estudo deixa claro que os varejistas devem priorizar e otimizar aplicativos de compras, caso contrário correrão o risco de perder dinheiro e oportunidades de gerar receita, já que as transações móveis não estão mais restritas apenas a sites para web mobile. Na análise das vendas online no Brasil de varejistas que possuem aplicativos, durante os primeiros três meses do ano, 50% das transações foram feitas por meio de desktops, 35% via web mobile e 15% dentro de apps. Em comparação com o mesmo período de 2017, as compras via aplicativo cresceram 22%.

– mobile first: consumidores navegam entre dispositivos, browsers e walled gardens, mesmo assim, smartphones têm se tornado o meio preferido para transações, já que eles passam a maior parte do tempo conectados a esses devices. Considerando os dispositivos, as transações concluídas via smartphone avançaram 48% em relação ao primeiro trimestre de 2017, ao passo que as vendas por tablets e desktops caíram 24% e 15%, respectivamente. O levantamento também mostra que os consumidores estão mais propensos a comprar utilizando aparelhos mobile durante a noite e aos finais de semana, enquanto o desktop continua sendo o ambiente de compras preferido durante o horário comercial.

– integração omnichannel: a combinação de dados online e offline é fundamental para compreender a intenção e o poder de compra do cliente, especialmente porque os consumidores omnichannel geram o maior lifetime value em termos de vendas. Globalmente, os omnishoppers representam apenas 7% dos consumidores, mas respondem por por 27% das vendas.

A integração de dados omnichannel é chave para otimizar os esforços de marketing, tanto que varejistas que combinam informações online e off-line têm quatro vezes mais informações para serem aplicadas em suas estratégias de marketing.

“Para os varejistas com lojas físicas, a adoção de aplicativos e a melhoria da infraestrutura de dados estão abrindo novos horizontes no marketing omnichannel, com a combinação entre online e off-line em uma jornada de compras ininterrupta e mensurável”, destaca Firmino.