Com solução de geolocalização, In Loco traz personalização e engajamento inteligente aos aplicativos

Enquanto os olhos da indústria ainda estavam encantados com a novidade dos beacons, a In Loco saiu na frente e buscou acumular inteligência sobre o comportamento do consumidor no mundo físico por meio de sua tecnologia própria. De um projeto que nasceu na faculdade, a startup brasileira com sede em Recife (PE) pega carona no crescimento das plataformas mobile e na revolução do mercado de mídias. Avaliada hoje em US$150 milhões, a companhia planeja se tornar uma empresa de US$ 1 bilhão muito em breve, em três a cinco anos.

Para se transformar em uma startup unicórnio, a empresa de tecnologia de geolocalização com aplicações em marketing investe em diferenciais estratégicos: “tecnologia exclusiva, leque de soluções, alta escalabilidade do negócio e expansão da sua mais recente oferta para o mercado global, neste primeiro momento com foco no norte-americano”, detalha o CMO Eduardo Martins. A nova aposta trata-se do In Loco Engage, solução de geolocalização desenvolvida para fortalecer o relacionamento dos aplicativos com seus usuários aumentando, dessa forma, o engajamento da audiência e a retenção da base.

Pedro Macêdo, head de parcerias estratégicas da In Loco

“Com inteligências trazidas com ferramentas como In Loco Engage, os apps vão se tornar proativos, passando a entender o contexto do usuário para poder trazer conteúdos e serviços relevantes, na hora certa. Isso já está decolando, entregando mais transparência para as marcas em relação às métricas e como elas são medidas”, explica Pedro Macêdo, head de parcerias estratégicas.  

Interagir com o usuário no contexto certo é a diferença entre uma comunicação que vai ser ignorada ou que irá gerar resultados, ressalta o executivo. Assim, um portal de notícias conseguirá detectar que o usuário está na academia, e que enviar uma notificação push seria um incômodo nesse momento; mas a mesma comunicação quando se está em casa é bem-vinda, já que o momento é propício para leitura.

Dentre os clientes que já se beneficiam da tecnologia, está a empresa de cashback Méliuz, que dobrou a taxa de engajamento dos usuários ao interagir com os clientes no contexto certo, ou seja, quando entram em lojas credenciadas, momento em que estão mais propensos a responder a ofertas.

O In Loco Engage funciona no formato “freemium”, com ferramentas gratuitas e outras pagas. A versão grátis oferece o envio de notificações push baseadas no contexto do usuário. Já na versão premium, é possível integrar as informações de visitas do consumidor ao CRM. A solução está disponível para plataformas Android, iOS e Cordova para Android.

2018: crescimento de três dígitos, CPV e aposta em transparência

O mercado de aplicativos deve movimentar globalmente US$ 139 bilhões em 2021. Mesmo com esse crescimento, a In Loco acredita que essas aplicações devem se tornar lugar comum rapidamente.

“Para uma marca se destacar, precisará desbravar novas tendências. Um exemplo é a presença em dispositivos inteligentes, como smartwatches. Nesta nova era, personalização e engajamento inteligente com o usuário será fundamental”, vislumbra o head de parcerias estratégicas Pedro Macêdo. 

Além disso, a In Loco também busca empoderar marcas e publishers para fortalecerem seus próprios canais de comunicação a fim de reduzir a dependência das gigantes de tecnologia. Isso porque a ferramenta permite um controle mais assertivo da comunicação com o público.

Eduardo Martins, CMO da In Loco.

Com alcance a cinco milhões de estabelecimentos comerciais e 25 milhões de residências brasileiras, além de estar presente em 80% dos smartphones brasileiros, a empresa projeta um crescimento expressivo para 2018 – em torno de três dígitos. Para alcançar essa meta, Eduardo Martins, CMO da companhia, enfatiza a expansão  do portfólio de soluções com uso da tecnologia da geolocalização, como o In Loco Engage, e do CPV (Custo Por Visita, onde o anunciante só paga pela propaganda que converte em visitas à loja física), um dos modelos de sua outra unidade de negócios, a In Loco Media.

Na visão de André Ferraz, CEO da In Loco, um dos grandes desafios no mobile em 2018 gira em torno de aumentar a transparência e garantir a privacidade do consumidor. “A discussão sobre transparência demorou a chegar. Vamos lembrar, que a publicidade no mundo digital começou no início dos anos 90 e, de lá para cá, cresceu exponencialmente. Só agora, quase 30 anos depois, o mercado parece ter despertado de vez para a grande necessidade que temos de trazer regras mais claras e uma regulação mais assertiva do mercado”.

Um caminho essencial a ser adotado pela indústria, segundo o CEO da companhia, passa por fortalecer as associações de marketing digital para que tenham autoridade para estabelecer padrões conceituais e garantir punições quando há descumprimento. Além disso, André Ferraz espera que a privacidade do usuário ganhe relevância na agenda do mercado esse ano. “Mapear o comportamento do consumidor no contexto do mundo físico é muito diferente de conseguir identificá-lo pelo nome, CPF e vida pessoal. Em nossa opinião, a privacidade é essencial e a discussão sobre o tema, imprescindível”.

*Matéria atualizada em 06/03/2018 às 18h49.