smartclip implanta ads.txt para combater fraude

Para aprimorar a transparência e a legitimidade do portólio de publishers premium em sua plataforma programática, a smartclip adere ao modelo de brand safety ads.txt em seu ecossistema de publicidade em vídeo.

A companhia especializada na distribuição de publicidade em vídeo multi-telas passa a utilizar agora um sistema mais rígido em sua plataforma proprietária de vídeo programático (SSP SmartX) com intuito de proporcionar maior transparência no seu inventário de publishers premium. Intitulado ads.txt (Authorized Digital Sellers) é um modelo anti-fraude desenvolvido pelo IAB Tech Lab, centro de tecnologia do Interactive Advertising Bureau, localizado em Nova York.

“A smartclip está reforçando sua posição contra a fraude no ambiente digital ao adotar o ads.txt. Estamos bem preparados para monitorar a qualidade e bloquear impressões não-autorizadas ou oferecidas por fornecedores não-certificados”, afirma Riza Soares, diretora geral da smartclip no Brasil.

A iniciativa fornece aos publishers e distribuidores de conteúdo, um mecanismo mais seguro e baseado em arquivos de texto para publicamente declararem os parceiros autorizados a comercializar os seus inventários. Para Riza Soares, a companhia enfatiza a credibilidade do seu inventário programático por manter relação direta com o publisher e, portanto, dá as boas-vindas à iniciativa ads.txt como uma ferramenta adicional que está em conformidade com o mindset e sua atuação em prol da transparência na indústria de publicidade.

ads.txt contra a fraude

Ads.txt combate dois dos principais problemas da indústria publicitária: falta de transparência nos inventários e domínios falsos. Quando publishers revelam os representantes autorizados por negociar seus inventários, ações comerciais inapropriadas por arbitragem e fraude publicitária tendem a ser minimizadas. Domínio forjado, em particular, custa bilhões em publicidade todos os anos. Antes de tudo, publishers premium ficam com a menor parte devido a esse tipo de prática, perdendo receita significativa para os domínios falsificados enquanto que anunciantes veem os seus recursos desperdiçados em inventários fake e, consequentemente, desconfiam de toda a cadeia de fornecedores.

A diretora geral da smartclip no Brasil acredita que, para o ads.txt atingir o seu potencial integral, é vital que haja adoção universal pelos meios de comunicação online.

“Nós, portanto, encorajamos os nossos parceiros a participar e a criar uma logística de mídia de alta qualidade. Igualmente, apoiamos a padronização dos próprios arquivos de texto, uma vez que isso faria o sistema até mais forte. Um útil complemento seria que os publishers listassem as exchanges que estão aprovadas a comercializar os vídeos ou as exibissem,  respectivamente, como forma de evitar confusão sobre quem está permitido a comercializar determinado inventário”.

Comentários