Hábitos de conteúdo: brasileiros preferem fotos a vídeos e preocupam-se com notícias falsas

O vídeo tornou-se a grande estrela das ações de marketing de conteúdo, mesmo assim, as fotos ainda são os formatos preferidos entre os brasileiros. É o que revela a pesquisa Hábitos de Conteúdo 2017, realizada pelo Opinion Box em parceria com a Contentools.

O levantamento, baseado em entrevistas com 1.278 internautas usuários de redes sociais em todo o país realizadas entre 14 a 22 de junho, traz um panorama sobre como os brasileiros consomem conteúdo e avaliam os diferentes tipos de formato.  

A preferência pelas fotos, segundo o estudo, pode ser justificada pelo excesso de volume de vídeos nas timelines das redes sociais. Se considerarmos que o vídeo virou o “queridinho” dos profissionais de marketing, não fica difícil de entender por que o formato nem sempre é atraente para quem assiste.

Uma prova é que somente 2 em cada 10 entrevistados disseram que assistem todos ou quase todos os vídeos até o fim, e apenas 3 em cada 10 gostam quando os vídeos do Facebook começam antes mesmo de dar play.

“Existem muitas situações em que o vídeo é uma ferramenta interessante, útil e atraente. Mas isso não quer dizer que ele deve ser usado para qualquer tipo de comunicação, nem a todo momento”, ressaltou o estudo. Dessa forma, a estratégia de vídeos deve ser elaborada tendo em conta não apenas formato, mas o tipo de conteúdo que será apresentado no vídeo.

Além disso, os usuários estão preocupados com a qualidade dos conteúdos consumidos nas redes sociais. Ao mesmo tempo que empresas como Google, Facebook e veículos de todo o mundo vêm adotando mecanismos para conter a disseminação de notícias falsas na internet, veracidade dos conteúdos também é um fator crítico para os entrevistados.

O mapeamento indica que 8 em cada 10 afirmam não compartilhar conteúdo sem ler ou sem ter certeza de que é verdadeiro. Cerca de 7 em cada 10 pessoas contaram que já deixaram de seguir uma pessoa ou marca nas redes sociais por conta de conteúdo ofensivo.

Confira outras conclusões do estudo Hábitos de Conteúdo 2017:

Gênero e idade: uma curiosidade está na diferença dos hábitos de acordo com o gênero ou idade. Enquanto 55% das mulheres preferem fotos, apenas 39% dos homens escolheram o formato. Quando se trata de vídeos, 27% dos homens optaram pelo formato, contra apenas 16% das mulheres. Se as fotos são as grandes campeãs entre os jovens, de 16 a 29 anos, as pessoas acima de 50 preferem consumir conteúdos em formato de texto.

– Consumo de textos: aproximadamente 1 em cada 5 internautas revelaram não ter o costume de clicar em um link de texto. Além disso, 35% quase nunca leem textos muito longos até o fim e 48% dizem detestar textão” no Facebook. Esses dados deixam claro o desafio dos produtores de conteúdo de atrair a atenção dos internautas em meio a tanta informação.

– Meios tradicionais X meios digitais: enquanto digital vem se tornando a principal fonte de informação, a dificuldade de monetizar esse tipo de conteúdo ainda é enorme. Somente 1 em cada 10 entrevistados ainda lê conteúdos apenas em meios físicos. Em contrapartida, apenas 3 em cada 10 pagam atualmente por algum serviço de assinatura de conteúdo em texto, desses 10% assinam conteúdos em meios físicos e digitais e 12% assinam apenas em meios digitais.  

 

Tags