×

As 12 profissões do programático

Os investimentos em mídia programática avançam em ritmo acelerado e, como resultado, há um déficit de profissionais no mercado preparados para lidar com as mais diversas operações que envolvem essa modalidade de compra de mídia de forma automatizada. Da criação, passando pela comercialização, negociação, tecnologia à mineração de dados – conheça aqui principais profissões que estão sendo cada vez mais disputadas no mercado de mídia digital.

Os investimentos em mídia programática saltarão de U$19 bilhões em 2016 para U$42 bilhões em 2020, o que representa um crescimento de 136%, apontam as previsões publicadas no recente relatório da Magna Global. Apesar de responder por apenas 4% do mercado global, a América Latina é a região com o maior potencial de crescimento, liderada pelo Brasil.

“A previsão de aumento da compra de mídia programática no Brasil é 40% este ano”, afirma Essio Floridi, managing diretor da Tradelab Brasil.

Nesse cenário em que a aceitação dos anunciantes em relação à modalidade de compra e venda de mídia no país se amplia, cresce também a demanda por profissionais especializados na área. No entanto, o desconhecimento quanto à profissão ainda é grande. Pensando nisso, a Tradelab Brasil desenvolveu um infográfico onde detalha as doze profissões do programático, que você confere abaixo. 

Por enquanto, os meios tradicionais ainda dominam o mercado de publicidade, mas não há como negar uma revolução digital em curso, que traz novas ferramentas para automatizar processos de mídia e torná-los cada vez mais inteligentes. Mais do que uma ameaça, os profissionais devem enxergar essa transformação como uma oportunidade.

E como disse Fabio Zucchetto, especialista sênior em produto e performance no Twitter LATAM, durante o IAB Ad Tech & Data 2016, realizado em setembro: “Mídia não é mais jogar batalha naval, esse entendimento mais estratégico e de tecnologia é cada vez mais exigido”.

info-profissoes-programatica-1