Simbiose Ventures: “O Brasil precisava de uma DMP local”

Por Gabriela Stripoli

Gabriel Menegatti e Cristian Gallegos, respectivamente CEO e diretor parceiro da Simbiose Ventures, começaram a elaborar a necessidade de uma DMP brasileira em 2012, mas ainda no plano das ideias. À época, os profissionais chegaram a se aproximar de multinacionais que já atuavam dessa maneira em mercados maduros, como Estados Unidos, para trazê-las ao país. Contudo, as particularidades do mercado nacional eram tão intensas que desencorajaram os negócios internacionais e motivou-os a pensar em uma iniciativa do zero. Foi o primeiro passo para montar a Simbiose.

“Desde o início a proposta era grande, e isso ‘assustou’ muita gente. O mercado precisa entender os reais benefícios de uma genuína DMP. Não é apenas usar dados, mas tirar real proveito deles. O Brasil precisava de uma DMP local”, defende Gallegos.

Ele evidencia a construção do mercado, na qual as empresas de programático têm papel importante para disseminar uma nova mentalidade seja do lado do anunciante ou do veículo. “Hoje, já é possível unir dados offline com o online e reimpactar usuários interessados em um determinado produto, que podem chegar a converter em pontos de venda depois de expostos a banners, por exemplo. Mas, para isso, é toda uma mudança de cultura – a indústria precisa entender que branding funciona, sair da cultura do clique e usar a informação disponível online”, completa.

A proposta da Simbiose Ventures é uma plataforma escalável, com bilhões de dados, capaz de indexar dados. “Recebemos mais de 5 bilhões de requests por mês. Para se ter uma ideia, é o mesmo número de transações de uma empresa como a [provedora de pagamentos] Cielo. Isso porque o Brasil é um país continental, lembro que esse volume impressionou até executivos norte-americanos com quem conversamos antes de resolver montar a Simbiose, do zero”, argumenta Gallegos.

Foi necessário um ano e meio para a criação da plataforma, a fim de indexar dados transacionais, informações demográficas, inclusive dados offline. Enquanto Menegatti trazia uma visão de mídia, Gallegos somava a perspectiva de gestão de empresas e cliente, com experiência em empresas como Mandic e Locaweb em sua trajetória profissional. Junto a eles, o desenvolvimento por equipe própria composta de matemáticos, estatísticos e cientistas de dados.

Hoje, com uma equipe de aproximadamente 15 pessoas, das quais mais da metade faz parte do desenvolvimento, os executivos reconhecem desafios – a começar pela formação de seus próprios talentos. “São programadores por formação, fortemente motivados, com sólida base analítica, mas reconheço que o desafio de formar cientistas de dados no Brasil é grande”, reconhece Menegatti. A Simbiose conta também com parceiros, como a AddThis, que sozinha soma 1,5 milhão de domínios no mundo.

Em menos de um ano, a companhia tem algumas contas fechadas, como a Fiat. No portfólio, três soluções já desenvolvidas- LatinDMP para veículos; Bullmerang, DMP para anunciantes; e Mouseflow, mousetracking para user experience. A meta é chegar em um ano ao faturamento de R$ 1,5 milhão, cinco grandes veículos e dez clientes no total.