É hora de colocar o digital no comando

Quando tudo se resume a isso, algumas coisas são feitas de uma certa maneira, porque isso faz sentido – seja porque é mais simples ou porque produz melhores resultados: meias antes dos sapatos. Jantar antes da sobremesa. Quanto aos atuais métodos de planejamento de mídia, ainda há trabalho a ser feito para tornar o processo o mais inteligente e frutífero possível, explica Ilona Lubojemska, diretora de serviços ao cliente da The Trade Desk, neste artigo escrito originalmente ao site inglês ExchangeWire.

Dada a quantidade de dados atualmente disponível, ela não é utilizada o suficiente como parte do processo de planejamento de mídia – especialmente quando você analisa como a compra, a venda e até mesmo a criatividade da mídia avançaram aos trancos e barrancos graças à revolução dos dados. Com isso em mente, reunimos algumas dicas para ajudar a turbinar as campanhas com uma abordagem orientada por dados.

  1. Planejamento digital em primeiro lugar

O planejamento inteligente começa com dados; e considerando que o digital concentra todos os dados, é aí que os insights reais podem ser encontrados. Isso pode ser tão simples quanto saber se os consumidores estão visualizando anúncios de manhã ou à noite ou em que dias estão mais ativos – até métricas mais complexas, como o formato de anúncio em vídeo que oferece as melhores taxas de conclusão.

Seja qual for a escolha da métrica, para obter os melhores resultados possíveis, é importante colocar em camadas o máximo possível de fontes de dados a fim de alcançar o melhor público e os melhores planos. Depois que os dados são reunidos e todos os insights relevantes são coletados, é essencial integrar os resultados o mais cedo possível nas campanhas, para garantir que eles forneçam respostas e orientações desde o início.

  1. Metas são o seu guia

Não adianta medir por medir, por mais que amemos dados. Para que o planejamento e a medição realmente provem seu valor e comecem a pagar dividendos, é necessário que haja um objetivo claro desde o início.

Embora todos estejam ansiosos para começar, é importante não pular direto para a ação sem primeiro fazer as perguntas importantes. O planejamento é onde o desempenho começa, muito antes de o primeiro real ser gasto – e sem metas de negócios como uma base sólida, o resultado provavelmente será uma campanha sem rumo, conclusões pouco claras e muita dificuldade para resolver esses problemas.

Portanto, é importante começar com as perguntas certas e vincular metas aos planos desde o início. Dessa forma, ninguém fica tentando conectar os pontos no final.

  1. Use todas as ferramentas à disposição

Transformar dados no coração de uma campanha é importante, mas não precisa ser excessivamente complexo. Nós testemunhamos a chegada de tantas novas tecnologias incríveis nos últimos anos – e elas também oferecem imensas oportunidades para compradores e planejadores.

As ferramentas de planejamento e compra fornecidas pela AI (como a Koa da The Trade Desk, por exemplo) podem eliminar a infinita otimização de dados, fornecendo insights intuitivos sobre o público, recomendações e os melhores preços possíveis.

Outro recurso importante é um pouco mais analógico: não se esqueça de especialistas digitais. Geralmente, os planos de gastos são criados pelas equipes digitais que trabalham no local. No entanto, há muito a se ganhar com a aquisição de pessoas com o mais profundo conhecimento do assunto desde os primeiros passos de uma campanha. Reduzir ao mínimo o trabalho de “adivinhação” é fundamental, e não há nada a temer em ir direto ao detalhe – especialmente se ele evitar as consequências de uma campanha mal avaliada.

No final do dia, os benefícios de um melhor planejamento não são apenas melhores planos. Se uma campanha se basear em metas e fundamentos sólidos baseados em dados, menor será o tempo gasto tentando obter mais orçamento ou corrigindo problemas gritantes nas estratégias de estágio avançado; o que, por sua vez, deixa mais tempo para investir no que é importante: seja compra e venda de mídia ou seja otimizar e melhorar as campanhas existentes conforme elas acontecem. Seja qual for a aparência da sua campanha, é hora de começar com bases sólidas, fazer uso de todas as ferramentas à sua disposição e colocar a digital firmemente no comando.

Tags