Para PubliEasy, crise de brand safety é oportunidade para trading desks

Com operações no Brasil desde 2014, a PubliEasy, trading desk fundada na França, registrou crescimento de 70% no mercado brasileiro no ano passado. Em fase mais madura, a companhia especializada em mídia programática agora mira em um crescimento duas vezes maior para 2017 e começa a trabalhar para pôr em prática seus planos de expansão na região.

Enquanto o brand safety tem sido o foco das discussões do mercado de publicidade digital, as trading desks aproveitam para transformar a situação em oportunidade. Como evidencia André Almeida, diretor de contas da PubliEasy, este é um momento favorável para a empresa focada na curadoria da entrega de publicidade para anunciantes. A tendência, segundo o executivo, é que as agências e anunciantes procurem as trading desks para gerenciar compras de mídia programática e entregar os melhores resultados para os anunciantes.  

“As trading desks têm essa responsabilidade de oferecer o melhor ambiente para que as marcas sejam expostas, e este é o momento. Nosso principal papel é cuidar da comunicação do cliente de forma clara e transparente”.

André Almeida e Gustavo Carvalho, CEO da PubliEasy no Brasil.

Dado esse contexto, André Almeida enfatiza que a empresa está preparada para ofertar a ambientes exclusivos e fazer as melhores entregas, como também prestar contas delas. “Os clientes buscam veicular suas comunicações no melhor conteúdo possível, e hoje eles possuem essa opção”, destaca.

Em três anos, a trading desk já realizou 500 campanhas, trabalhando com 55 agências para 122 anunciantes dos mais diversos setores, como Vivo, Unimed, Cinemark e McDonald’s, além de ampliar sua rede de parceiros premium, que hoje conta com veículos como UOL, Terra, Valor Econômico, G1, Omelete, ESPN, dentre outros. Esforço que vem provando resultado, de modo que o país já representa 10% do faturamento global da empresa.

Além do programático, a PubliEasy também possui uma parceria com o WeTransfer, serviço de transferência gratuito com uma base de 1,5 milhões de usuários únicos, onde oferta quatro formatos de publicidade. Dentre os clientes que utilizam o serviço no Brasil, marcas como Peugeot. Os formatos oferecidos apresentam CTR médio de 0,7% nas posições premium de peças estáticas, de 1,4% para posições estáticas platinum. Em vídeos, a taxa de finalização chega a 60% para planos premium e 75% de para planos platinum.

Todo esse trabalho vem sido desenvolvido para transformar o Brasil em hub para a América Latina, de modo que está entre os planos da PubliEasy a expansão dos negócios para Argentina e Colômbia nos próximos anos. “Esses dois países são mercados importantes em termos de receita de publicidade. Acredito que o ano que vem esses planos estarão mais maduros”.  

Por enquanto, o foco continua no mercado brasileiro. “O Brasil é chave para nossa receita global e apostamos em nosso diferencial, que é sair um pouco do que é commodity em mídia programática, focando no atendimento pessoal, em uma equipe comercial qualificada para, inclusive, atrair clientes que ainda não aderiram ao programático”.