União entre Yahoo e AOL forma Oath; brasileiros querem ter controle da publicidade

Os destaques da semana no mercado digital internacional e nacional: Verizon confirma nova marca Oath, união entre Yahoo e AOL; estudo AdReaction, realizado pela Kantar Millward Brown, mostra reação das diferentes gerações à publicidade digital; Él Gráfico passa a fazer parte da RPA, publisher co-op argentina; estudo da Zenith Australia apresenta dados sobre inversão publicitária na América Latina

Yahoo + AOL = Oath

Enquanto a conclusão da aquisição da Verizon vem se arrastando por vários meses, em partes graças às falhas do Yahoo em lidar com os vazamentos de dados de 2013 e 2104 de forma transparente, a transação parece ter avançado nos bastidores. Alguns detalhes da aquisição já vazaram, incluindo a fusão planejada do Yahoo com o braço de internet da Verizon, a AOL.

A nova empresa de internet, na qual o core business do Yahoo (email, ad tech e conteúdo) se fundirá com a AOL, ganhou o nome de ‘Oath’, conforme anunciado pelo CEO da AOL, Tim Armstrong em um tweet, acompanhado pelo logotipo da nova empresa.

A AOL esclareceu ao ExchangeWire que a Oath será uma empresa-chave para mais de 25 marcas de mídia e tecnologia, entre elas o Huffington Post, AOL.com, Makers e Build Studios. Após a fusão com o Yahoo, marcas como Yahoo Finance, Yahoo Sports e Yahoo Mail serão integradas ao portfólio.

No entanto, não será o fim das marcas Yahoo e AOL. Assim como a Alphabet do Google, a Oath será o guarda-chuva sob o qual operarão vários meios de comunicação e marcas – incluindo os futuros investimentos. Segundo fontes do setor, o novo empreendimento será liderado pelo CEO da AOL, Tim Armstrong. Marissa Mayer, CEO Yahoo, parece não estar envolvida na Oath.

Brasileiros querem ter controle da publicidade

O desafio para engajar as audiências das diversas gerações é cada vez maior para os anunciantes, especialmente no ambiente online, como mostra o estudo AdReaction, realizado pela Kantar Millward Brown.

Apesar do alto consumo de TV, o levantamento revela que todas as gerações apresentam alto consumo digital, sendo o mobile mais expressivo entre as gerações Z e Y. Mesmo que a geração Z gaste mais tempo consumindo mídia online no Brasil, 72% da afirmam pular publicidade em vídeo online, índice superior se comparado às gerações Y ou X.

Os anúncios de curta duração são os mais assertivos, assim como conteúdos de música, humor e celebridades (incluindo influenciadores digitais).

Todas as gerações tentam evitar anúncios digitais de várias formas, mesmo assim, no Brasil o uso de adblockers ainda é baixo: 38%, contra 48% globalmente.  A maioria usa a opção de “pular anúncio” (skip), porém o estudo aponta que os consumidores estão pouco preocupados em se livrar da publicidade. Dispositivos lentos são o principal fator para a instalação de ad blockers.

A Kantar Millward Brown pesquisou mais de 23 mil consumidores com idades entre 16-49 anos em 39 países. No Brasil, foram entrevistados mil consumidores.

Él Gráfico passa a fazer parte da RPA, publisher co-op argentina

O argentino de site de esportes Él Gráfico, que integra o Torneos, se uniu à aliança entre publishers Real Premium Audiences Media (RPA Media Place). A publisher co-op, que possui veículos como Infobae, La Nación e Clarín, irá alcançar agora uma audiência ainda maior. Segundo o El Gráfico, a audiência de seu site cresceu 152% no último ano.

“A incorporação do El Gráfico reforça nossa proposta de valor, na qual temos trabalhado nos últimos dois anos. É uma referência em mídia esportiva na Argentina e enriquecerá nossa proposta de valor aos clientes, oferecendo um ambiente premium exclusivo e seguro para as marcas”, afirmou Alejandro Álvarez, CEO da RPA Media Place.

Inversão publicitária na América Latina

Um estudo da Zenith Australia traz um panorama sobre a expansão da publicidade digital em todo mundo e projeta que os investimentos irão superar as verbas destinadas à TV no primeiro semestre deste ano. A expectativa é que, globalmente, os anúncios digitais representam 36,9% da inversão publicitária em 2017.

Na América Latina, depois do avanço de 6,4% em 2015, a inversão publicitária reduziu 0,5% no último ano, impactada pela recessão econômica na Argentina e Venezuela, segundo o levantamento. Até 2019, a empresa espera um crescimento anual de 2% na região.

De forma geral, o mercado global deve avançar entre 4% a 5% anualmente nos próximos dois anos.

Comentários